PISA MENOS, PROGRAMAÇÃO! 

Dia 1 - 06 de outubro 

17h30 - Abertura da Mostra

18h - Sessão de abertura e bate papo com os diretores

Sob o mesmo teto (Coletivo Olho Vivo, 2017) Quantos corpos ocupam o mesmo espaço? Quantos espaços certos corpos podem ocupar? "Sob o mesmo teto" é um curta-documentário sobre a Casa Nem, um espaço de luta e empoderamento que nasceu em um dos bairros mais famosos da cidade maravilhosa, a Lapa. Trans-correndo pelas histórias dos sujeitos que lhe deram vida, o filme fala sobre dores, afetos e alegrias. Sobre trans-sujeitos que fizeram (r)existir esse espaço que modificou suas vidas e de todos aqueles que dele fizeram parte.

O mais barulhento silêncio (Marccela Moreno, 2016) 1 em 4 mulheres é estuprada até o fim da vida. A maioria por um conhecido. Culpa, repressão e naturalização da violência nos silenciam. Neste filme-ensaio, 4 mulheres em um cenário alegórico compartilham as dolorosas memórias da violência e seus processos de descobertas enquanto vítimas de estupro, enquanto refletem sobre o que é ser mulher nesse mundo. Este mundo ele feito para nós?

Fragmentos (Karen Antunes, Nyandra Fernandes e Viviane Laprovita, 2017) Reconstruir e reinventar. Quando corpos gordos [se] amam.

19h - Intervalo com performance teatral da Drag Queen Nádia Passiva

19h30 - Sessão Ser Trans: filmes que abordam a temática da identidade de gênero ou que sejam protagonizados ou produzidos por pessoas transvestigeneres.

21h - Debate com Indianare Siqueira, Cauê Monteiro (mediação: Gilmara Cunha)

Indianara Siqueira é fundadora da Casa Nem e do Prepara Nem e vereadora suplente da cidade do Rio de Janeiro.

Cauê Monteiro é cineasta, fotógrafo, ativista trans, carioca. Dentre seus trabalhos mais recentes, está a direção do curta "Benção" (2017), realizado de forma independente pelo Foras de Quadro, e assistência de fotografia e operador de câmera do curta "Tailor" (2016), de Calí dos Anjos. 

Gilmara Cunha é fundadora e coordenadora geral do Grupo Conexão G, militante do movimento LGBT e a primeira transexual a receber a maior comenda da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, a Medalha Tiradentes por sua militância e seu trabalho no Grupo Conexão G.

21h30 - DJ Leoni Albuquerque (Casa Nem)

________________________________________________________________

Dia 2 - 07 de outubro

18h - Lançamento do filme Nave Mãe (Eloi Leones e Iury de Carvalho Lobo, 2017) Madame Latisha governa um mundo onde ser bixa, drag e lgbt é a condição de aceitação e são a maioria da população. Os heteros são uma minoria rebelde que tenham voltar ao poder. Sua primeira ação de rebeldia é o assassinato de uma drag afilhada de madame latisha que declara guerra aos héteros. Madame Latisha faz uma convocatória das drags mais perigosas que formarão um esquadrão para contra atacar os héteros. Ao final elas saem vitoriosas.

18h20 - Sessão Reflexos do Feminino: filmes que abordam temáticas ligadas ao feminino, que sejam protagonizados ou que tenham uma equipe majoritariamente feminina.

19h40 - Intervalo com Performance teatral Espírito Nu, de Lívia Laso. A performance Espírito nu - Afrobutoh dialoga o Butoh japonês com conceitos africanos/afro-diaspóricos. Criado no Japão pós-guerra, o Butoh é a dança da escuridão. Nesta performance, ele traz à tona sentimentos enclausurados vivenciados por uma mulher preta no transbordamento de suas potencialidades.

20h - Sessão Cine Sexualidade: filmes que abordam temáticas ligadas ao universo lésbico, gay, bissexual e outras orientações sexuais que fogem da heteronormatividade.

20h45 - Debate com Erica de Freitas e Leopoldo Duarte (Mediação: Priscila Rodrigues)

Leopoldo Duarte é publicitário por formação, designer de profissão, mestrando em Saúde Coletiva por teimosia e problematizador por vocação. É editor no site "Os Entendidos" e colunista sobre negritude, sexualidade e política.

Erica de Freitas é Graduada em cinema pela Universidade Gama Filho. Cursa a Pós Graduação em Direito do Entretenimento na UERJ. É fundadora da produtora Encantamento Filme e idealizadora do projeto Visionárias.

Priscila Rodrigues é jornalista do Observatório de Favelas e atua nas áreas de Cultura, Educação, Diretos Humanos, Cidade, Gênero, Raça e Comunicação. Em 2015, foi Mentora de Mídia Geo Lead do projeto Adobe Youth Voices, no Brasil. Participou também do planejamento e concepção da plataforma digital "Onlaje" e da campanha Favela 3D - Diversidade, Disposição e Direito, projetos da Escola Popular de Comunicação Crítica (ESPOCC). Roteirizou o curta-metragem "Rotulada - sapatão, preta, gorda e favelada". E publicou o conto "CaminhoNEGRA" no livro "Um Rio de Cores - Coletânea de Contos & Poesias Homoafetivas", da editora Metanoia. Está envolvida em projetos relacionados à comunicação popular, favela e ao enfrentamento da LGBTfobia, racismo e machismo.

22h30 - DJ Rafa Ferrero (Festa CHØCK) e Apresentação de Styletto do Projeto Maré Sobre Saltos - Divas da Maré
_________________________________________________________________

SESSÃO ESPECIAL DE PREMIAÇÃO 

21 de outubro de 2017: divulgação, reexibição e premiação dos filmes mais votados pelo juri popular.

Local: Escola de Cinema Darcy Ribeiro